AQUI É O HAITI? NÃO, AQUI É UMA GRANDE COLÔMBIA “QUANTOS MAIS PRECISARÃO MORRER?”

Quem conhece a música de Caetano Veloso e Gilberto Gil que diz “O Haiti é aqui, O Haiti não é aqui”, realmente o Brasil está próximo ao Haiti, passando a ser Colômbia.

Há muito tempo tenho falado a amigos que perguntam sobre a violência e a situação do Brasil, que o Brasil é uma Colômbia; a diferença é que a Colômbia tem território menor que o Brasil, e nós somos um País continental, e por isto, muitas vezes não se percebe que aqui a violência tomou conta, o Tráfico de Drogas, de Armas e de Seres Humanos, que rola solto e já bate todo os recordes, embora os governantes mintam descaradamente com o número da violência, a verdade é que hoje o Brasil é exatamente uma Colômbia.

A Colômbia passou por isto, a disputa política da elite do País permitiu que o tráfico de drogas e a violência fossem avançando até surgir milicianos, e acabou em uma grande guerra entre os Colombianos.

Querem ver que o que falo está correto?

“Relatório da Ansitia Internacional com dados da Comissão Pastoral da Terra” mostra que 62 (sessenta e dois) defensores de direitos humanos foram mortos de janeiro a setembro de 2017, no Brasil. A diretora da entidade, Jurema Werneck, diz que o país “disputa” com a Colômbia o posto de quem mais mata, “aqueles que lutam por justiça e dignidade”. 
Diz Jurema Werneck, “Já apontávamos esse problema, o Brasil é um dos lugares mais perigosos para quem luta pelos direitos humanos”, sobre a morte da vereadora Marielle Franco.

Lutar pelos direitos humanos tem vários sentidos, por exemplo, quando você luta por trabalho decente e luta pelos direitos humanos, é que aqui articulistas políticos, e até religiosos, dizem que quem defende direitos humanos, defende “Bandidos”, quando é exatamente o contrário, se defende o direito à vida com dignidade e respeito.

Nada adianta os governantes apontarem para as favelas e bairros pobres deste País, e dizer que ali mora vagabundo e malandro; não, ali moram trabalhadores vítimas de políticas públicas desonestas e sem compromisso com o povo.

Vejo governantes fazerem propaganda dizendo que criaram milhões de vagas em presídios, enquanto outros roubam até o dinheiro do pãozinho que seria servido aos detentos; este País já tem a maior população carcerária do mundo, com jovens na faixa entre 19 e 30 anos, que um dia terão que retornar ao convívio social.

A verdade é que neste País, há muitos anos falta um Projeto de Estado, não se faz segurança pública de qualidade, não se faz saúde de qualidade, educação com projetos meia boca, só para justificar que alguém que está na Presidência do País, ou que seja governador, prefeito ou membros do legislativo.

O País segue à deriva, a corrupção está por todos os cantos, na polícia, no legislativo, no executivo, no judiciário, e com isto, criam organizações, as milícias tomaram o poder e o povo fica no meio desta verdadeira bagunça, sem rumo e sem oportunidade, é lamentável termos cidades e locais que estão piores que o Haiti após o terremoto, enquanto em violência, passaremos, e muito, a Colômbia.

 

MARIELLE FRANCO FEZ SEU PAPEL E DEIXOU A PERGUNTA, QUE GOVERNANTES, DE TODOS OS NÍVEIS E DE TODOS OS PARTIDOS, NÃO TEM MORAL PARA RESPONDER:

 

“QUANTOS MAIS PRECISARÃO MORRER?”

 

Lourival Figueiredo Melo

São Paulo, 16 de março de 2018

Topo

© Copyright 2014 - FEAAC - Federação dos Empregados de Agentes Autonômos do Comércio do Estado de SP

Mapa do Site Fale Conosco